Marquês de MicalbaQuinta do Micalba

A MISSÃO DO B 17

BTFCPPUR*

O CAPITÃO FALA PELO INTERCOMUNICADOR:

-Atenção, tripulação! Hora da checagem final: BTFCPPUR, como diz a frase ritual: Brakes, Trim, Flats, Contacts, Pressure, Petrol, Undercarriage, Radiator. Tudo OK?

– Checagem de equipamento: título de eleitor OK? Fizeram o cadastramento biométrico nas cidades onde ele era necessário? Carteira de Identidade? Camisa amarela? Gostei da ideia dos óculos escuros, co-piloto. Perfeitamente legal, e todo o mundo sabe que mito sem óculos escuros não é mito. Bombardeiro, vá trocar a camisa com propaganda explícita; o inimigo pode se aproveitar desse detalhe supérfluo para nos impedir de cumprir a missão. Sim, navegadora? Adesivo pode.

– Colinha no bolso? Verifiquem se os armamentos estão funcionando perfeitamente: todas as munições são do PSL ou das coligações? Se na sua metralhadora não existirem projéteis do PSL, podem usar os do NOVO, exceto para Presidente. Em caso de vida ou morte, recorram à munição do DEM ou às poucas do PSDB que não têm a ponta vermelha; às vezes funcionam. Boa sorte e boa caçada.

AGORA É HORA DO GIGANTESCO B 17 LIGAR OS MOTORES E DECOLAR, E IR SUBINDO LENTA MAS INEXORAVELMENTE ATÉ ATINGIR A ALTITUDE IDEAL DE BOMBARDEIO, 51 MIL PÉS. LOGO NA DECOLAGEM, O CAPITÃO ADVERTE O CO PILOTO:

– Cuidado com os pássaros, se entrarem no motor ou baterem na cabine fazem um estrago danado. Enquanto estamos voando baixo a espécie mais perigosa é a maritaca verde da cabeça vermelha, que felizmente voa só de quatro em quatro anos e tem fôlego curto. Mais acima ficam os tucanos, que podem fazer um bom estrago: parecem bonitinhos, mas são bichos traiçoeiros, a gente fica olhando para a sua linda plumagem e de repente – Pluft! – eles entram pelo motor direito e fazem a aeronave adernar para a esquerda. E lá no alto pairam os mais daninhos de todos, os urubus rei de toga preta: são aves enormes, e mesmo sendo uma espécie rara que existe em tão pequeno número (certos ornitologistas dizem que a população é de apenas onze exemplares),  se apenas um avariar um motor, estamos perdidos.

SUBINDO DEVAGAR, O B 17 VAI SE APROXIMANDO CADA VEZ MAIS DO TERRITÓRIO INIMIGO, E O CAPITÃO INSTRUI PELO INTERCOMUNICADOR O PESSOAL DO ARMAMENTO DEFENSIVO:

– Atenção, metralhadores, estamos entrando em território hostil. Preparem as armas defensivas: lembrem-se de que grande parte da Oposição é composta por gente patriota, ainda que pouco informada e irrefletida, mas composta na maioria por combatentes honrados, mesmo assim. Mas não ignorem que entre os inimigos existem hostes de fanáticos como as pilotos suicidas Feminaze, que atacam com os seios caídos à mostra e gritando histericamente, enquanto disparam seus fluidos corporais (urina, fezes, etc.). Isso sem contar os membros mais fanáticos do Partido Gayzista, que avançam cegamente atirando purpurina, cusparadas, e golpes de xale vermelho. E mesmo aeronaves aparentemente insuspeitas que se infiltram facilmente na formação, como aquela tia simpática  que na juventude militou na LIBELU; se algum assim se aproximar, usem o código “ISENTÃO”. Enquanto for possível, ignorem os ataques: o importante é cumprir a missão. Em último caso, contem com a nossa escolta da PM, que sempre foi nossa aliada.

JÁ VOANDO SOBRE TERRITÓRIO INIMIGO, O B17 É CAPTADO PELO RADAR INIMIGO, APELIDADO DE “URNA ELETRÔNICA”. É UM APARELHO QUE PODE FUNCIONAR TANTO COMO AMIGO QUANTO INIMIGO, DE ACESSO RÁPIDO, MAS SUJEITO A CONTRAMEDIDAS ELETRÔNICAS. PRUDENTE, O CAPITÃO AVISA:

– Estamos no alcance das urnas eletrônicas. O pessoal do Exército prometeu ajudar, monitorando e neutralizando ameaças. Mesmo assim, ativem as contramedidas: fotografem o boletim de urna, reportem qualquer coisa suspeita, procurem o fiscal de um partido aliado. Cuidado: não assinem 17 na lista de votação, anula o bombardeio. Nem bombardeiem duas vezes o mesmo Senador, o segundo ataque será nulo.

POUPANDO O LEITOR DE UMA LONGA DESCRIÇÃO DE UM VÔO ÁRDUO E TORTUOSO, NO QUAL O B 17 FOI CRIVADO DE TIPOS DE IMPRESSÃO VINDOS DA ARTILHARIA ANTIAÉREA DA IMPRENSA, ATACADO POR FEMINAZES E PELA ELITE DO PARTIDO GAYZISTA, ALVEJADO POR UMA CAÇA “SOLITÁRIO” DA ESQUADRILHA PSOL, O B 17 CHEGA AO SEU ALVO, E O CAPITÃO DÁ AS INSTRUÇÕES FINAIS:

– Parabéns, Tripulação. Enfrentamos tudo juntos, mas chegamos juntos ao alvo, e agora é hora de cumprir a missão. Abrir o compartimento! Bombardeiro: agora o avião é seu. Quando estiver sobrevoando o alvo, voto  neles!

Missão cumprida.

 

*BTFCPPUR era uma frase mnemônica da RAF durante a 2ª. Guerra Mundial. Era a última checagem dos Spitfires e bombardeios Lancaster antes de decolar.

Tags
Ver mais

Marquês de Micalba

O Marquês de Micalba nasceu no Arraial do Curral Del Rey em MCMLXI (algarismos arábicos são para plebeus) Passou 11 anos em busca das Minas do Rei Salomão, e mais 20 usando uma capa preta com debrum vermelho a perseguir os inimigos do Rei, armado apenas com sua inseparável Parker 51. Afastou-se de seus afazeres mundanos e hoje se encontra exilado na Quinta do Micalba, com um monte de bichos de todas as espécies. Seu alter ego já tem quatro livros e vários contos publicados, no Brasil e em Portugal, e alguns prêmios literários nacionais e internacionais.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar
%d blogueiros gostam disto: